Maconha tem interesse farmacêutico reconhecido pela Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou hoje em sua página a lista das Denominações Comuns Brasileiras (DCB), incluindo 19 novas substâncias entre produtos biológicos, princípios ativos, excipientes e plantas de interesse da indústria farmacêutica, por meio da resolução RDC 156/2015. A atualização dessa lista é rotineira.

A inclusão da Cannabis Sativa L., a maconha, na lista foi o que mais chamou atenção. “A DCB é uma lista de nomes oficiais para todas as substâncias que são ou podem vir a ser de interesse da indústria farmacêutica no Brasil”, informa o site da agência.

Fonte: Maconha tem interesse farmacêutico reconhecido pela Anvisa

Brasil tem 59 mil farmácias que vendem controlados – Notícias – Anvisa

 

Os medicamentos controlados são aqueles que só podem ser comprados se você apresentar uma receita especial em duas vias ou com talonário. Essa categoria inclui medicamentos com tarja preta e os de tarja vermelha.

O Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC), criado pela Anvisa em 2007, tem hoje o cadastro de 59 mil farmácias e drogarias autorizadas a vender esse tipo de produto. No Brasil, qualquer farmácia ou drogaria que comercialize medicamentos que precisam de prescrição médica têm de enviar relatórios semanais para a Anvisa.

Fonte: Brasil tem 59 mil farmácias que vendem controlados – Notícias – Anvisa

Insulina: risco de troca de insulinas NPH e regular – Informações Técnicas – Anvisa

O Instituto para práticas Seguras no Uso de Medicamentos – ISMP classifica as insulinas como medicamentos de alto risco ou medicamentos de alta vigilância pois são potencialmente perigosos, uma vez que apresentam um risco aumentado de provocar danos significativos aos pacientes em decorrência de falha no processo de sua utilização1. Diante disso faz-se necessária a adoção de medidas específicas para prevenir a ocorrência de erros com esse tipo de medicamento

A Anvisa tomou conhecimento sobre o potencial risco de troca das insulinas NPH e regular, adquiridas pelo Ministério da Saúde (MS) e distribuídas por meio do programa de saúde pública. Essas insulinas, assim como os outros medicamentos adquiridos pelo MS, obedecem a uma identificação visual padronizada dos rótulos e embalagens de medicamentos normatizada pela Anvisa. Tal semelhança gerada nos rótulos e embalagens pode aumentar o risco de confusão e troca entre as insulinas no momento da sua dispensação pelas farmácias.

 

Fonte: Insulina: risco de troca de insulinas NPH e regular – Informações Técnicas – Anvisa

Foi aprovada oficialmente a vacina que pode curar o diabetes de forma definitiva

Foi no mês de fevereiro deste ano que a FDA anunciou que foi aprovado um teste de fase intermediário para a #vacina chamada ‘Bacilo Calmette-Guerin’ (BCG), que tem como objetivo, agir contra o diabetes ou até mesmo curar a doença de forma definitiva. Os testes serão realizados em 150 adultos que estão em estágio avançado da doença, inicialmente para saber como a medicação age no corpo dos doentes a longo prazo.

A notícia que já está sendo comemorada pelo mundo todo, foi divulgada pela Dra. Denise Faustman, na 75ª Sessão Científica da Associação Americana de #Diabetes. A médica atualmente é diretora e investigadora principal do Laboratório de Imunologia do hospital Geral de Massachusetts, que fica em Boston, nos Estados Unidos.

fonte: Foi aprovada oficialmente a vacina que pode curar o diabetes de forma definitiva