Asma: esclareça dúvidas sobre medicamentos que tratam a doença

Segundo o Ministério da Saúde, a doença mata cerca de 2,5 mil pessoas por ano. De acordo com as Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o Manejo da Asma, estima-se que existam mais de 22 milhões de asmáticos no Brasil. Anualmente, ocorrem cerca de 160 mil internações pela doença no país, sendo a quarta causa de hospitalizações no Brasil. Esse número pode diminuir se a asma for controlada corretamente, não só melhorando o ambiente em que o paciente vive, como ministrando os medicamentos adequados – em sua maioria oferecida gratuitamente pela rede pública de saúde.

Continuar lendo Asma: esclareça dúvidas sobre medicamentos que tratam a doença

Além do sofrimento físico, pacientes com fibromialgia enfrentam a desconfiança de familiares e até de profissionais de saúde

As sobrancelhas, o vermelho das vestes, as flores no cabelo e a experiência de dor são marcas indissociáveis de Frida Kahlo. Seu autorretrato com pregos perfurando todo o corpo, A coluna quebrada, um dos seus quadros mais famosos, é também indício de que a artista mexicana sofria de fibromialgia. Na tentativa de explicar os motivos para a dor crônica que acompanhou a artista durante anos, alguns autores sugerem que Frida sofria de fibromialgia pós-traumática, caracterizada por dor generalizada persistente, fadiga crônica, distúrbios do sono e pontos dolorosos em regiões anatômicas bem definidas. Esse conceito de fibromialgia, tal como entendido atualmente, provavelmente não era disseminado entre os médicos do século 20.

Continuar lendo Além do sofrimento físico, pacientes com fibromialgia enfrentam a desconfiança de familiares e até de profissionais de saúde

Febre Amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa transmitida por um mosquito portador do vírus conhecido como artrópodes. Os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins concentram o maior número de casos de contaminação.

Continuar lendo Febre Amarela

Mal de Parkison difícil vida do doente incurável

A idade chega e com ela vários problemas de saúde. O mal de Parkinson se instala, geralmente, em pessoas com mais de 65 anos, mas há casos registrados em idade mais precoce. Doentes em Goiás reclamam da falta de medicamentos, que são caros e, por isso, bancados pelo Estado.

Lille, France ---   --- Image by © BSIP/CorbisO envelhecimento cerebral é inevitável, de acordo com Sonia Brucki, coordenadora do Departamento Científico de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN). Porém, cada pessoa tem um ritmo específico de acordo com fatores externos. Outra possibilidade é que em qualquer fase da vida possam surgir doenças que levam, entre outros sintomas, a perdas cognitivas. Uma delas é a doença de Parkinson, um mal que não tem cura e atinge, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 1% da população mundial com idade superior a 65 anos. No Brasil, estima-se que cerca de 200 mil pessoas sofram com o problema. Apesar dos números, a doença não é uma das mais conhecidas pela população. Pensando nisso, o dia 11 de abril passou a marcar o Dia Mundial de Combate à Doença de Parkinson.

Continuar lendo Mal de Parkison difícil vida do doente incurável