Entenda como funciona a suspensão de medicamentos – Jornal O Globo

RIO – O que acontece quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspende um medicamento? De quem é a responsabilidade de recolher os produtos? O que o consumidor deve fazer? Listamos as orientações da agência reguladora sobre as responsabilidades e os procedimentos de cada um dos envolvidos no processo.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/economia/defesa-do-consumidor/entenda-como-funciona-suspensao-de-medicamentos-21438375#ixzz4nUexdA1M
stest

Fonte: Entenda como funciona a suspensão de medicamentos – Jornal O Globo

Anvisa suspende lote de Lexotan do mercado – Rádio Videira

 

Um dos lotes do remédio Lexotan foi suspenso nesta quarta-feira (19) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Com a medida, as caixas do medicamento serão recolhidas das prateleiras pela empresa fabricante.

Segundo a Anvisa, a amostra foi reprovada nos testes de laboratório que verificaram irregularidades na dissolução do produto. Os agentes apontaram que as propriedades farmacêuticas foram alteradas ao longo do prazo de validade.

Apesar de o problema ter sido classificado como de baixo risco, a Anvisa alerta para que os pacientes não usem o lote RJ0874 e optem por outras caixas ou mesmo produtos genéricos com o mesmo princípio ativo.

Fonte: Anvisa suspende lote de Lexotan do mercado – Rádio Videira

Novo tratamento para insuficiência cardíaca duplica benefícios | Saúde é Vital

Imagine ficar extremamente cansado ao saborear um prato de sopa ou perder o ar só de permanecer em pé durante o banho. Pois essas são algumas das duras limitações provocadas pela insuficiência cardíaca, uma doença grave e incapacitante. Nela, o coração vai pedindo arrego e não bombeia mais sangue com eficiência para todos os cantos do corpo.

“Trata-se do saldo final de uma sequência de agressões, como pressão arterial descontrolada, infarto ou certas infecções, sofridas ao longo de vários anos”, explica o médico Victor Issa, diretor da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Como é de esperar, o quadro tem um impacto enorme na qualidade de vida do indivíduo, nas suas atividades profissionais e de lazer, bem como na situação da família. Segundo levantamento realizado pela empresa de pesquisa Deloitte, há mais de 2 milhões de vítimas da insuficiência cardíaca no Brasil, o que gera gastos de 22 milhões de reais por ano e uma perda produtiva superior a 3 milhões.

Fonte: Novo tratamento para insuficiência cardíaca duplica benefícios | Saúde é Vital

Viciados em omeprazol estão na mira dos médicos; efeitos colaterais preocupam | Viver Bem

 

 

Poucas pessoas precisam tomar inibidores da bomba de prótons, sendo o mais conhecido ou omeprazol, por um tempo maior que quatro semanas. Mas não é incomum encontrar quem fazer uso do medicamento há anos pela percepção de uma melhora rápida que ele traz. Embora não se perca, os benefícios são logo substituídos pelos efeitos colaterais e retirar o remédio da rotina que é uma luta difícil, que nem semper se ganha.

Pesquisadores canadenses sugeriram, e publicaram em maio na revista científica Canadian Family Physician , novas diretrizes para os médicos que pretendem suspender os inibidores dos pacientes. Uma ideia é fazer com que uma transição do vício seja mais tranquila, sem impacto na qualidade de vida das pessoas.

Uma das provas, por exemplo, em pacientes jovens com sintomas do trato gastrointestinal alto, que tomaram o medicamento por quatro semanas e uma solução do problema: reduzir uma dose diária ou mesmo interrompê-lo por completo. Não é suficiente, substituir o inibidor por uma terapia com outros medicamentos, os antagonistas do receptor de histamina tipo 2.

Fonte: Viciados em omeprazol estão na mira dos médicos; efeitos colaterais preocupam | Viver Bem

Orientação Farmacêutica – CRF-SP – Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo

Farmacêutico, leia o esclarecimento sobre a RDC 20/11

 

2017 07 13 rdc-20-11São Paulo, 13 de julho de 2017

O CRF-SP com o objetivo de melhor orientar o exercício das atividades farmacêuticas no Estado de São Paulo e considerando ser ato do farmacêutico, conforme previsto na Resolução do Conselho Federal de Farmácia nº 357/01, a avalição das prescrições, oficiou a Anvisa em 10/04/17, por meio do Of. Fiscalização 509/17, para esclarecimentos se a vedação imposta pelo artigo 7º da RDC 20/11 (dispõe sobre o controle de medicamentos antimicrobianos), no que tange a prescrição na mesma receita de um medicamento antimicrobiano e um sujeito ao controle especial da Portaria SVS/MS nº 344/98, também se estende àqueles medicamentos que apesar de serem sujeitos ao controle da referida Portaria não estão sujeitos à dispensação mediante retenção de receita e sim mediante apenas à apresentação dela, como é o caso dos retinóides e anabolizantes de uso tópico (adendos das listas C2 e C5 da Portaria SVS/MS nº 344/98 – última atualização das listas de controle feita por meio da RDC nº 159/17).

Fonte: Orientação Farmacêutica – CRF-SP – Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo

Medicamentos podem ser causa de acidentes no trânsito – Notícias – Farmácia

Quando o Contran aprovou a necessidade de testes para detecção do uso de substâncias proibidas, por motorista profissionais (Carteiras de

habilitação C, D e E), demonstrou uma evolução com a preocupação com a interação entre direção e substância que modificam o humor, a consciência e estado de virgília, que até então estava focada somente no consumo do álcool.

Inegavelmente houve um avanço, mas, não são somente substância proibidas que podem ser a causa de grandes tragédias no trânsito. Medicamentos comuns, para tratamentos dos sintomas de uma gripe podem ser potencialmente perigosos.

Fonte: Medicamentos podem ser causa de acidentes no trânsito – Notícias – Farmácia